PRECONCEITO, INTENTO CRIMINOSO | Por Marcos Damasceno

MarcoxzComo escritor, professor e estudioso das questões do Brasil (modéstia à parte) incomoda-me ver posturas e falas repugnantes de algumas pessoas, que fogem à trilha da civilidade e da honradez do povo brasileiro. O preconceito é resultado das frustrações pessoais, do desequilíbrio emocional, da mente doentia de pessoas que se consideram superiores aos outros. São personalidades intolerantes.
Essa cultura imperialista e separatista vem da “elite” que não quis historicamente se misturar, e ao mesmo tempo impôs privilégios diante da miséria da grande massa. Essa mesma elite que vai para a Europa ou Estados Unidos, e lá é chamada de “latinos”. Como agravante posterior, uma parcela da sociedade que quer ser “incluída” na mesa da casa grande, e puxar o saco, e no intuito de agradar (na verdade, resignar-se) diz asneira e torna-se instrumento de manipulação de uma mídia superficial, sem profundidade.

Sobre a questão da corrupção é algo histórico e que requer um debate profundo e qualificado. A começar pelos seus atos, das miudezas do dia a dia. Assuma responsabilidade e colabore. Denuncismo vazio, sem a materialidade da coisa é perda de tempo e de energia. Desde que (um) tal de Dom João chegou por essas bandas que o esporte preferido de alguns é a corrupção. Não atribuiremos, pois, tudo a um ato isolado. As instituições devem ser fortalecidas cada vez mais, como estão agora, e que sejam investigados os crimes e os atos de corrupção e sejam punidos os culpados. Assim caminharemos para um Brasil mais eficiente.
Estude o Brasil; leia as obras de Euclides da Cunha, Anísio Teixeira, Gilberto Freyre, Darcy Ribeiro, Jorge Amado, Sérgio Buarque de Holanda para começar. Depois leia e conheça fatos como Canudos, Pau de Colher, Caldeirão, Coluna Prestes, Cangaço e outros. Verá uma questão de causa e efeito profunda. Historicamente o Brasil foi dividido entre incluídos e excluídos, emancipados e esquecidos, privilegiados e sofridos.
A única hierarquia no País é a divisão em regiões, estados e municípios. Mas todas as regiões (Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul) têm o mesmo valor, assim como todos os estados e municípios. A visão capitalista é que provoca, muitas vezes, o preconceito (por parte de quem desconhece) e a discriminação (por parte de quem comete intento criminoso).
Estude o Brasil e conheça a profundidade das mudanças ocorridas e seja um agente de novas mudanças (estude bem o que é mudança). Não seja malcriado e petulante querendo diminuir os outros. Todos nós temos o mesmo valor, do Oiapoque-Amapá ao Chuí-Rio Grande do Sul; os lugares extremos até então comprovados. Nem fique cobrando satisfação do voto das demais pessoas. A democracia tem essa maravilha: o voto de cada brasileiro tem o mesmo valor; somos iguais nisso.
Não seja pobre de espírito, inculto e arteiro. Respeite o voto de cada um; as escolhas de cada um. Respeite a integridade moral de cada povo. Paz e bem.

Marcos Damasceno
(escritor)

One thought on “PRECONCEITO, INTENTO CRIMINOSO | Por Marcos Damasceno

  1. De fato essa doença sentida entre nós humanos tem ganhado força maléfica. É uma pena. Considero que tudo isso se dar em função não só de uma genética histórica, mas sobretudo pela ausência de um sistema educacional brasileiros com moldes modernos e investimentos profundos para toda a nação. A ignorância germina geralmente dentro de um corpo ignorante, despreparado, sem visão progressista, a educação é para isso. Age diretamente nas pessoas as enviando paro outro mundo. O da paz e da disputa sadia e respeitosa. Bom texto. Parabens.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.