Read Time:3 Minute, 34 Second

Sob a pior seca na Bahia das últimas oito décadas, o reservatório de Sobradinho, no norte do estado, estabilizou o volume útil em 1%, contrariando a previsão pessimista de que chegaria ao “volume morto” em dezembro deste ano. “Não garante estabilidade, mas ficamos mais distante da reserva técnica”, considerou o diretor de operação da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), José Ailton de Lima. Apesar do resultado inesperado, o nível de água é o pior da história. Antes de 2015, o menor nível registrado foi de 5,3%, percentual identificado em 2001.

Lima detalha que o “volume morto” não foi atingido, conforme previa a própria Chesf, por conta das chuvas que caíram na Bacia do Rio São Francisco nos últimos dias. “Vínhamos torcendo para que isso acontecesse. Essas chuvas caíram entre Três Marias (MG) e Sobradinho. Com isso, o volume morto, que se aproximava, deu uma estabelecida”, informou. Ainda em alerta, Lima conta que a região que envolve o reservatório está no período de chuva, que deve durar até maio de 2016. “Parece que o clima úmido pegou agora. Normalmente, sempre temos água nova entrando nessa época. Estamos na expectativa de que assim continue”, revela.

O reservatório de Sobradinho tem 34 bilhões de metros cúbicos de água. Deste total, 28 bilhões integram o volume útil, que é usado na produção de energia, no abastecimento das famílias e na manutenção das atividades de irrigação e pecuária. Os demais seis bilhões fazem parte do chamado “volume morto”, que é uma reserva técnica programada para ser usada apenas em momentos de emergência. Com o início do período úmido, o reservatório de Sobradinho já está recebendo mais água do que distribuindo. Na última medição, feita no domingo (6), Lima descreve que a vazão afluente [que chega] era de 1.100 metros cúbicos por segundo (m³/s). Já a vazão defluente [de saída],  que é fixa, é de 900 m³/s.

Conforme Silvana Leite Nunes, secretária do Comitê de Bacia do Lago de Sobradinho, as chuvas têm sido identificadas em alguns municípios vizinhos, como Pilão Arcado, Barra e Remanso, que também são banhados pelas águas do Rio São Francisco. “Em Barra, já soube que o rio subiu dois metros”, afirmou.

Em Sobradinho, Leite destaca que o tempo continua quente e seco. “Na minha comunidade [Canaã], por exemplo, choveu 15mm. Já na cidade, ainda não choveu”, detalha. Entretanto, as informações das cidades vizinhas têm aumentado as expectativas por dias melhores. “Tem aumentado [as chuvas na região]. Já é uma esperança”, conclui.

Produção de energia

Chegando ao “volume morto”, a produção de energia no reservatório de Sobradinho  seria inviabilizada. Entretanto, José Ailton de Lima diz que isso não iria impor uma crise energética. Ele detalha que o nordeste tem abastecimento de energia elétrica assegurado por meio de geração térmica, eólica e outras hidrelétricas. Além disso, explica que se necessário, há possibilidade de importação de energia de outras regiões. Conforme Lima, a liberação da reserva técnica iria garantir a captação de água das populações locais, como também a manutenção dos animais e da produção agropecuária.

Redução da vazão

O reservatório de Sobradinho, o maior do nordeste, foi criado em 1979 para funcionar com vazão de 2.060 metros cúbicos por segundo (m³/s). Entretanto, devido à seca que atinge a região, vem sendo reduzida desde 2013. Hoje, a vazão é 900 m³/s. Chegando ao volume morto, a perspectiva é de que o escoamento chegue a 800 m³/s. Conforme José Ailton, a redução da vazão não compromete a captação das comunidades. “Os 900 m³/s, que é praticado desde agosto, nunca trouxe problemas. Quando eu reduzir para 800 m³/s, haverá uma queda no nível do rio em 15cm ou 20cm. Se a bomba de captação já estiver no limite [nas comunidades], será preciso colocá-la mais perto água”, alerta.

Reservatório estratégico

Alimentado pelo Rio São Francisco, o reservatório de Sobradinho integra um cascata de hidrelétricas, sendo a maior e mais importantes delas. Localizada abaixo da hidrelétrica de Três Marias (MG), é responsável por alimentar as usinas de Itaparica, Moxotó (perto de Paulo Afonso), Complexo de Paulo Afonso (I, II, II e IV) e Xingó (entre Alagoas e Sergipe).   Além da Bahia, o reservatório de Sobradinho atende a municípios de Pernambuco, Sergipe e Alagoas.

Fonte: G1 Bahia (Foto: Reprodução/TV Globo)
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Previous post Jovem mata irmão após discursão na porta de casa em Pilão Arcado
Next post Constesf convoca toda a população do Território do São Francisco para participar de audiência pública