Cidades do Extremo-Sul da Bahia não aderem ao ‘lockdown’ decretado pelo Governo do Estado

Cidades do Extremo-Sul da Bahia não aderem ao ‘lockdown’ decretado pelo Governo do Estado

Os moradores de Teixeira de Freitas movimentaram o comércio da cidade no último sábado (27). O cenário era de normalidade, apesar do decreto estadual publicado na sexta-feira (26) proibir o funcionamento de atividades não essenciais na Bahia. A cidade optou por não seguir a determinação do Governo do Estado. Assim como Teixeira de Freitas, pelo menos, outros três municípios da região Extremo-Sul também não aderiram integralmente ao texto publicado pela gestão baiana.

As prefeituras da região que não acataram integralmente o decreto do governo são: Eunápolis, Teixeira de Freitas, Itamaraju e Guaratinga. Nos dois primeiros locais, as medidas mais duras de isolamento social, o chamado “lockdown parcial”, nunca foram determinadas pelas gestões municipais. Em Itamaraju, a sexta, o sábado e o domingo (28) não contaram com essas restrições, que só foram impostas na segunda (1º). Já em Guaratinga, o movimento foi contrário, com um afrouxamento das restrições a partir de 1º de março.

Os leitos de UTI para coronavírus do Extremo-Sul da Bahia estão 78% ocupados, segundo a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab). Ainda de acordo com a pasta, o índice de ocupação geral dos leitos voltados para a doença da região é de 56%.

Thank you for watching

Teixeira de Freitas
Moradora de Teixeira da Freitas, a estudante Gilceia Stein, 43 anos, relatou que grande parte das pessoas que andam pelas ruas da cidade não usa máscara, inclusive dentro de estabelecimentos comerciais.

“As pessoas estão vivendo como se não existisse amanhã. Até em uma padaria, o atendente estava sem máscara. As pessoas não estão se importando com o coronavírus”, comenta a estudante. Para ela, a não adesão do “lockdown parcial” por parte da prefeitura dá o aval para comportamentos de risco.

Em Teixeira de Freitas, apenas o toque de recolher decretado pelo Governo do Estado entre às 20h e às 5h é seguido. Na sexta-feira, a prefeitura permitiu, em decreto municipal, o funcionamento normal do comércio local. A gestão municipal permitiu a celebração de cultos religiosos até às 19h30 e a atividade de lojas, bares e restaurantes até às 20h. Até mesmo a proibição da venda de bebida alcoólica, determinada pelo estado entre às 18h de sexta-feira e às 5h de segunda, não foi acatada pela gestão. 

Com a prorrogação das medidas restritivas na Bahia, com exceção das cidades do Oeste, Norte e Nordeste do estado, a Prefeitura de Teixeira de Freitas publicou novo decreto mantendo o funcionamento das atividades não essenciais no município.

Procurada para comentar a decisão de ir contra o decreto estadual, a Secretária de Saúde de Teixeira de Freitas, Cristiane de Almeida Cerqueira, optou por não se posicionar. A assessoria de imprensa da prefeitura informou apenas que as explicações já constavam no texto do decreto municipal, que aponta que a gestão local é autônoma e que o lockdown determinado pelo estado contraria os interesses e a economia da cidade. Além disso, a Prefeitura também pontua no texto que “medidas proibitivas de funcionamento do comércio local não são fator preponderante para o aumento da contaminação pelo coronavírus, mas sim a não observância pelos munícipes, dos protocolos de distanciamento e uso de máscaras e álcool/gel”. No entanto, não mostrou qualquer estudo científico que comprove a afirmação.

Correio*