Lula tem 49% das intenções de voto e Bolsonaro, 23%, aponta pesquisa Ipec

Lula tem 49% das intenções de voto e Bolsonaro, 23%, aponta pesquisa Ipec

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aparece com 49% das intenções de voto para a Presidência da República para 2022. Já o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aparece com 23%, segundo pesquisa do instituto Inteligência em Pesquisa e Consultoria (Ipec), criado por ex-profissionais do Ibope, divulgada nesta sexta-feira (25).

Se considerados os votos válidos, o petista teria 56% das intenções e venceria já no primeiro turno. Já Bolsonaro, ficaria em segundo lugar, com 23% dos votos totais e 26% dos válidos.

A pesquisa avaliou também a viabilidade dos ex-ministros Ciro Gomes (PDT) e Luiz Henrique Mandetta (DEM), bem como do governador de São Paulo, João Doria (PSDB). O pedetista atinge 7% dos votos totais, o tucano paulista, 5% e Mandetta, 3%.

O instituto Ipec ouviu presencialmente 2.002 eleitores brasileiros em 141 cidades do país entre 17 e 21 de junho. A margem de erro de dois pontos percentuais.

Por região

De acordo com os dados, Lula lidera em todos os segmentos do eleitorado. 

No recorte geográfico, o principal reduto do petista continua sendo o Nordeste, onde tem 63% das preferências de voto, com vantagem de 48 pontos porcentuais sobre Bolsonaro. 

A menor vantagem do petista ocorre no Sul (35% a 29%). No Sudeste, região que concentra o maior número de eleitores, o ex-presidente tem 47%, e seu principal rival, 24%.

Nesta quinta-feira (24), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, estendeu a suspeição do ex-juiz Sergio Moro a todos os processos do ex-presidente em que o magistrado atuou. Os processos do sítio de Atibaia e sobre o Instituto Lula voltaram, portanto, à estaca zero.

Em março, o STF decidiu que o ex-juiz Moro foi parcial ao condenar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do triplex do Guarujá. Com esse movimento, Lula se tornou elegível novamente. 

Potencial de voto

A pesquisa também perguntou se os eleitores votariam com certeza ou poderiam votar ou se não votariam de forma alguma em determinado candidato.

Em Lula, 61% dos entrevistados disseram que votariam com certeza ou poderiam votar nele (11 pontos percentuais a mais que em fevereiro), 36% que não votariam de jeito nenhum (8 p.p. a menos), e 3% afirmaram que não conhecem o suficiente ou não responderam.

Para Bolsonaro, 62% disseram que não votariam de forma nenhuma (6 p.p. a mais), 33% que votariam com certeza ou poderiam votar (queda de 5 p.p.) e 4% que não conhecem o suficiente ou não sabem (variação negativa de 1 p.p.).

Rejeição 

Nos últimos quatro meses, o potencial de votos de Bolsonaro caiu de 38% para 33%, enquanto a rejeição aumentou, aponta a pesquisa, que identificou que 62% dos eleitores afirmam que não votariam em Bolsonaro de jeito nenhum (eram 56% há quatro meses). 

No caso do ex-presidente Lula, a taxa de rejeição fica em 36%.

Ciro Gomes também teve avanço em seu potencial de votos, mas em termos mais modestos: passou de 25% para 29% desde fevereiro. A rejeição ao ex-governador do Ceará caiu quatro p.p, mas segue em patamar elevado: 49% dizem que não votariam nele de jeito nenhum.

Já o potencial de votos de Doria passou de 15% para 18%. No entanto, 56% do eleitorado afirma que jamais o escolheria como presidente.

Fonte: CNN Brasil

Bahia Brasil Eleições 2022