Após fim da greve dos vigilantes, Banco do Brasil de Campo A. de Lourdes volta a funcionar “normalmente” amanhã (08).

Após fim da greve dos vigilantes, Banco do Brasil de Campo A. de Lourdes volta a funcionar “normalmente” amanhã (08).

7 de junho de 2017 0 Por Por Lucas Nunes

A agência do Banco do Brasil de Campo Alegre de Lourdes, Norte da Bahia, volta a funcionar nesta quinta-feira, dia 08 de junho. A agência bancária estava com os serviços limitados desde o último dia 25 de maio de 2017, início da greve dos vigilantes da Bahia.

A agência voltará o funcionar a parte do atendimento ao publico que estava interrompido, s terminais de autoatendimento também irá funcionar.

Porém de acordo com o gerente da Agência, os serviços não estarão  totalmente normalizados, devido a agência bancária está sem dinheiro.

Fim da greve:

A greve dos vigilantes na Bahia foi encerrada na tarde desta quarta-feira (7) com um acordo considerado vitorioso para os trabalhadores. Os vigilantes terão um reajuste salarial de 6%. Desde o dia 24 de maio, cerca de 30 mil vigilantes no estado estavam em greve, prejudicando serviços essenciais, como o atendimento bancário em algumas agências. De acordo com o procurador do trabalho, Luís Carneiro, a mediação realizada pelo Ministério Público do Trabalho da Bahia (MPT-BA) “foi uma oportunidade para as partes se aproximarem e chegarem a um um acordo”. “As partes, no começo do movimento, estavam muito distantes”. “O sindicato dos trabalhadores, inicialmente, pedia 15%, depois passou para 10% e depois baixou para 7%. O patronal iniciou com 0% de contrapartida, evoluiu para 1%, para 3%, e depois para 3,73%. O MPT sentiu-se confortável, diante do contexto, para apresentar uma proposta que não apenas abraçasse o reajuste dos trabalhadores, mas tivesse uma contrapartida e uma segurança econômica para os patrões. Essa proposta representa um ganho real efetivo para os trabalhadores, não só repõe o INPC do período, mas apresenta um ganho real para os trabalhadores. É uma vitória num momento de crise econômica no país. Será um avanço aos direitos dos vigilantes”, avaliou o procurador. Ainda ao Bahia Notícias, Luís Carneiro disse que a discussão, ocorrida nas rodadas de negociação, “ultrapassou a discussão da jornada de trabalho, que poderia causar prejuízos a saúde e segurança do trabalhador”. “Essa discussão era um obstáculo praticamente instransponível e entramos na análise econômica das propostas”, pontuou. O acordo vai se tornar uma convenção coletiva da categoria.