Esposa e filho de médico, de Campo A. de Lourdes, morto em Recife têm prisão decretada

Esposa e filho de médico, de Campo A. de Lourdes, morto em Recife têm prisão decretada

5 de julho de 2018 0 Por Por Lucas Nunes

Minutos depois de a esposa e o filho do médico e advogado Denirson Paes da Silva, de 54 anos — encontrado morto dentro de um poço no condomínio de luxo em que morava em Aldeia, em Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife — terem sido liberados pela Justiça, um mandado de prisão temporária  contra ambos foi expedido pelo juiz do município onde ocorreu o crime.

A farmacêutica Jussara Rodrigues e o engenheiro Danilo Paes, de 23 anos, haviam sido presos em flagrante por ocultação de cadáver na noite dessa quarta-feira, logo após a localização dos restos mortais da vítima, e liberados para responder ao processo em liberdade depois de uma audiência de custódia realizada pelo juiz Otávio Pimentel, lotado na comarca de Jaboatão dos Guararapes. Durante a ouvida, porém, a delegada responsável pelo caso, Carmen Lúcia Andrade, solicitou ao juiz criminal da comarca de Camaragibe a expedição de um mandado de prisão temporária de 30 dias.

De acordo com o advogado de ambos, Alexandre Oliveira, o magistrado que conduziu a audiência de custódia também tinha liberado a esposa e o filho do médico do pagamento da fiança, arbitrada em R$ 954 mil pela delegada que apura o caso. Em contrapartida, o juiz estabeleceu medidas cautelares para mãe e filho para que eles respondam ao processo em liberdade. Jussara e Danilo terão que comparecer mensalmente em juízo, não poderão se ausentar da RMR e terão que entregar seus passaportes à Justiça.

Com a nova ordem de prisão expedida pela Justiça e já relativa às investigações do crime de homicídio, Jussara deve seguir para a Colônia Penal Feminina do Recife, enquanto Danilo será encaminhado ao Centro de Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima.

Segundo o advogado, ainda não há nem sequer a confirmação de que os restos mortais encontrados no condomínio sejam de Denirson. Por conta do estado do corpo, a identificação só será possível com a realização de exames de DNA. Tanto a necropsia quanto as análises laboratoriais serão realizados pelo Instituto de Medicina Legal (IML) do Recife, para onde foram levados os restos mortais. Além disso, Alexandre alega que os clientes registraram queixa logo depois do desaparecimento do médico, compareceram à delegacia e cooperaram com as investigações da polícia.

O defensor de Jussara e de Danilo também disse que, durante a audiência, eles deram detalhes da vida íntima da família e afirmaram que estavam com viagem marcada para o mês de junho, quando Denirson estava de férias. A programação do casal e dos dois filhos, porém, teria sido cancelada por conta de problemas de saúde do médico. Tanto a esposa quanto o filho do cardiologista afirmaram que ele sofria de depressão.

Ao juiz, eles também relataram que Denirson teria sumido sem deixar pistas e que a família imediatamente procurou a polícia para prestar queixa do desaparecimento. Além de Danilo, o casal tem outro filho que, segundo a polícia, não tem envolvimento no crime.

O corpo de Denirson foi localizado durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão solicitado pela delegada Carmen Lúcia, que apura o caso, registrado na delegacia de Camaragibe. O cadáver, achado esquartejado e possivelmente carbonizado, foi jogado em um poço de 25 metros de profundidade nas proximidades da residência da família.

Denirson Paes trabalhou em grandes unidades de saúde do Recife, como os hospitais Getúlio Vargas, das Clínicas, do Exército e o Procape, referência na área de cardiologia no estado. Além de formado em medicina pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), ele também se graduou em direito pela Uninassau. O cardiologista nasceu na cidade baiana de Campo Alegre de Lourdes, no interior do estado.

 Fonte: Portal OP9.com.br