Perícia confirma que restos mortais em cacimba são de médico, diz pai da vítima

Perícia confirma que restos mortais em cacimba são de médico, diz pai da vítima

10 de julho de 2018 0 Por Por Lucas Nunes

Em coletiva de imprensa na tarde desta terça (10), a Polícia Civil de Pernambucoconfirmou que o corpo encontrado na cacimba do condomínio Torquato Castro, em Aldeia, é do médico e advogado Denirson Paes da Silva, de 54 anos. O chefe da PCPE, Joselito Kehrle, também informou que as buscas no local devem continuar nesta terça. Mais cedo, o pai da vítima, Francisco Ferreira, confirmou à Folha de Pernambuco o resultado do exame de DNA.

“Ainda não há a conclusão da investigação. Até os Bombeiros informarem que não estão encontrando mais partes do corpo, não encerraremos as buscas. A medida que os restos mortais do corpo forem encontrados, eles serão encaminhados ao Instituto de Medicina Legal (IML). Com o fechamento das perícias e com o trabalho de campo realizado pela polícia, nós esperamos fechar o inquérito com elementos suficientes para o indiciamento final e aprisão preventiva de Jussara e Danilo Paes (esposa e filho do médico)”, disse Kehrle.

Ainda de acordo com o chefe da PC, a motivação do crime seria a separação de Jussara e Denirson.”Acreditamos que o crime teria sido motivado pela separação do casal, que envolve a divisão de bens”, acrescentou.

Ainda segundo o chefe da PCPE, foram realizadas buscas na quarta (4), quinta (5) e nesta terça (10), quando só foram encontrados ossos. Ele contou que mais partes do corpo de Denirson foram encontrados nesta terça depois que os Bombeiros realizaram escavação dentro da cacimba.  Ele relatou ainda que no local foi encontrado metralha, oriunda de um depósito de concreto quebrado próximo a área da piscina, e areia. “Desde o primeiro dia que encontramos a primeira remessa dos restos mortais do médico, no dia 4 de julho, nós achamos posteriormente areia e metralha que foi jogada alternadamente em cima dos fragmentos, o que dificulta o trabalho dos Bombeiros”.

A polícia afirmou que até o momento não há suspeita de que outras pessoas estejam envolvidas no crime. “Nesse momento da investigação não há indícios de participação de outras pessoas. A esposa e o filho do médico podiam ter cometido todo o crime sozinhos. Acreditamos que eles tenham levado quatro dias para concluir todo o processo”, contou o chefe da PCPE .

Kehrle disse também que mesmo que não haja a definição da causa-morte do médico, a polícia já comprova que o crime configura-se como homicídio qualificado. “É bom deixar claro que se houver a indefinição da causa-morte por parte dos médicos legistas pela decomposição dos restos restos mortais, a natureza jurídica do fato já está muito clara: foi homicídio qualificado com ocultação de cadáver”.

De acordo com o pai de Denirson, a família estava aguardando a localização de outras partes do corpo para liberação e encaminhar à Bahia, onde serão enterradas. Pela manhã, uma empresa de alpinismo esteve no condomínio para auxiliar nas buscas. Dois profissionais da empresa Ranger SMS Alpinismo Industrialestiveram no local, e uma estrutura com ganchos foi montada ao lado da cacimba, provavelmente para viabilizar a descida.

movimentação policial no condomínio foi intensa. Além de viaturas da Polícia Civil – à frente, a delegada Carmem Lúcia, da Delegacia de Camaragibe -, também estiveram no residencial pelo menos um veículo do Instituto de Criminalística, que chegou no início da tarde, e um carro do Corpo de Bombeiros.

Fonte: Folha PE