Advogado de suspeitos da morte do médico de Campo A. de Lourdes entra com pedido de habeas corpus e espera resultado ainda hoje

Advogado de suspeitos da morte do médico de Campo A. de Lourdes entra com pedido de habeas corpus e espera resultado ainda hoje

11 de julho de 2018 0 Por Por Lucas Nunes

O advogado Alexandre Oliveira, que defende a farmacêutica Jussara Paes e o filho dela, o engenheiro Danilo Paes, principais suspeitos do assassinato do médico Denirson Paes, protocolou na tarde desta quarta-feira (11) no Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) um pedido de habeas corpus em favor dos clientes. Jussara e Danilo, esposa e filho da vítima, estão presos temporariamente por força de um mandado expedido pela 1ª Vara Criminal de Camaragibe, município onde ocorreu o crime.

A partir da formalização do pedido, feita por volta das 12h50, e da distribuição para um desembargador relator, o defensor espera que a solicitação seja apreciada ainda na tarde de hoje ou, no máximo, até esta quinta-feira (12). “Por ambos não reponderem a nenhum processo criminal, não terem antecedentes nem histórico de brigas no condomínio, entendo que eles podem responder ao processo em liberdade e cumprir medidas cautelares determinadas pela Justiça”, avalia o advogado.

Sobre a expectativa de liberação dos seus clientes, Alexandre afirmou que o habeas corpus se restringe a analisar o cumprimento das exigências legais da prisão cautelar. “Não é o momento de analisar o mérito, mas de avaliar, de acordo com a Constituição e com o Código Penal, se eles preenchem os requisitos para a prisão temporária. No caso deles, esses requisitos não estão presentes”, opina.

Cela especial

Ao chegar no TJPE, o advogado também informou que Danilo foi transferido na noite dessa terça-feira para uma cela no pavilhão especial do Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel) por ter se graduado em um curso superior. Até então, o suspeito estava em uma das celas comuns da unidade porque o diploma que comprova a formatura não havia sido localizado. “Consegui com o coordenador do curso na Universidade Federal de Pernambuco uma declaração de conclusão de curso e a transferência foi feita logo depois que apresentei o documento à direção do Cotel”, explicou Alexandre. Desde que foi presa na Colônia Penal Feminina no Recife, Jussara está alojadas nas dependências reservadas a portadores de diploma de curso superior.

Fonte: op9.com.br

Foto: TV Clube/Reprodução