Coordenador Regional de Saúde divulga dados da vacinação contra Sarampo e Poliomielite no Norte da Bahia

Coordenador Regional de Saúde divulga dados da vacinação contra Sarampo e Poliomielite no Norte da Bahia

22 de agosto de 2018 0 Por Por Lucas Nunes

Feliz com os números da Campanha de Vacinação contra o Sarampo e a Poliomielite na região o Coordenador Regional de Saúde Pedro Alcântara de Souza esteve no Programa Geraldo José (Transrio FM) na tarde desta terça-feira (21) informando que houve um acréscimo no percentual de vacinação de mais de 10% para o mesmo período da campanha desenvolvida ano passado.

“E isso se deve ao esforço muito grande de cada gestor e das equipes de saúde da região. Para reconhecer o trabalho desenvolvido por aqueles municípios que alcançam a meta a Secretaria de Saúde da Bahia instituiu um diploma que é entregue ao gestor como forma de motivar para as campanhas posteriores e estimular aqueles que não alcançaram o objetivo. Na campanha contra a gripe apenas o município de Uauá, no Norte do Estado, alcançou os 100% de cobertura e nós estaremos fazendo a entrega do diploma no próximo dia 31” informou Pedro Alcântara.

“Na campanha contra Sarampo e Poliomielite, embora a vacinação ocorra até 31 deste mês e não existe perspectiva de prorrogação porque os mapas de notificação serão fechados nesta data, os municípios que mais se destacaram foram Sobradinho com 76% e Campo Alegre de Lourdes 69%. Juazeiro teve um percentual 52% e a cidade de Casa Nova foi a que registrou o menor percentual com 26% talvez pela área gigantesca geograficamente falando” pontuou o coordenador de Saúde.

Pedro Alcântara encerrou pedindo aos gestores de saúde que não deixem de alimentar o sistema com os dados de vacinação “porque eu só posso pedir novas doses a partir do momento que se comprove a utilização de todas as doses. Quando o gestor não atualiza os dados pode gerar atraso no envio de novas vacinas. Ao mesmo tempo reitero aos pais e responsáveis por crianças que não deixem de vacinar seus filhos e netos como forma de evitar a introdução dessas doenças que estavam erradicadas no Brasil”.

Da Redação Foto Geraldo José