Jussara diz que esganou médico com “mata-leão”, arrancou o órgão genital da vítima e botou fogo

Jussara diz que esganou médico com “mata-leão”, arrancou o órgão genital da vítima e botou fogo

5 de setembro de 2018 0 Por Por Lucas Nunes

A farmacêutica Jussara Rodrigues, 55 anos, informou em depoimento ter entrado em luta corporal com o marido, o médico cardiologista Denirson Paes, na manhã do dia 31 de maio, antes de asfixiá-lo com um “mata-leão”, segundo o advogado de defesa Alexandre de Oliveira. Durante a briga, ela deu um chute que levou Denirson a bater com a cabeça no chão, o que teria ocasionado o traumatismo no crânio. Com o médico desacordado, ela o esganou e depois trancou o corpo no quiosque próximo à piscina onde, à noite, o esquartejou, inclusive arrancando o órgão genital da vítima, que foi queimado. Essas informações serão verificadas nesta quinta-feira (6) pela polícia, durante reconstituição com Jussara no condomínio em Aldeia, onde aconteceu o crime.

Nessa terça-feira (4), uma nova testemunha seria ouvida pela Polícia Civil, mas ela não compareceu à Delegacia de Camaragibe, que investiga o caso. Identificado apenas como Uraquitan, o funcionário do Hospital Barão de Lucena, onde Jussara trabalhava, teria quebrado a casinha de ferramentas de Denirson a pedido da farmacêutica. À reportagem, Uraquitan confirmou que prestaria depoimento, mas não quis revelar o teor. “O crime ela disse que cometeu sozinha. Ele não sabia de nada, só foi quebrar a casinha. Essa nova informação pode ajudar a inocentar Danilo”, ressaltou o advogado da farmacêutica e do filho mais velho do casal, Danilo, ambos acusados pelo crime. O entulho resultante da destruição dessa casinha serviu para ocultar o corpo de Denirson dentro da cacimba.

Fonte: Folha PE