ESPAÇO DO LEITOR | NOTA SOBRE A MUDANÇA DE NOME DA ESCOLA MUNICIPAL REITOR EDGARD SANTOS

Como cidadão campo-alegrense sinto no direito de posicionar-me acerca do projeto municipal de lei que visa mudar o nome da Escola Municipal Reitor Edgar Santos para Luis Antônio Dias Soares. Nossas lideranças municipais no passado cometeram inúmeras injustiças na nomeação das escolas do município de Campo Alegre de Lourdes, não levando em conta o critério do trabalho de prestação educacional a comunidade.

A homenagem ao professor Luiz Antônio Dias Soares, conhecido como Quilica, nada mais justa ao reconhecer seu trabalho como educador no nosso município. Numa época em que nossa cidade ainda estava em formação, ele foi responsável por ensinar matemática para uma geração de Campo Alegre de Lourdes. Lembro de meus pais contando que o método de educação dele era baseado em métodos extremamente rígidos de ensino. Ser professor para esse homem era uma vocação, superando os desafios de salário baixíssimo e falta de infraestrutura para dar aula.

É de suma importância, o reconhecimento do trabalho desse homem. Ao colocar seu nome em um dos principais colégios do município. Não se trata de biografia, mas de colocá-lo a altura do grande trabalho na educação que ele exerceu em Campo Alegre de Lourdes.

Quanto a mudança de nome em si, o Reitor Edgard Santos não tem nenhuma relação com a cidade, possivelmente não sabia da nossa existência. O único mérito dele para homenagem foi ter sido pai do ex-governador da Bahia Roberto Santos. A homenagem em ruas, e prédios públicos não se deve basear em popularidade. É preciso estabelecer critérios, na qual, na minha   concepção, a atribuição de nomes de pessoas a obras e locais públicos deve-se analisar a relevância que o homenageado teve em sua comunidade, e se durante a sua vida atuou na área.  E ainda, é preciso o reconhecimento pela comunidade a essa pessoa. Infelizmente, Campo Alegre se apegou uma cultura de homenagear pessoas sem critérios, mas por afinidade ou por politicagem.

Gostaria de parabenizar o vereador autor do projeto. Desde já, espero ter contribuído ao debate. Nossa cidade urge por elevar o debate público acerca da nossa comunidade, necessitando deixar de lado sentimentos pessoas ou meramente interesses políticos. Se queremos um futuro melhor, devemos se inspirar naqueles que construir o passado. Como Ortega y Gasset dizia que “só é possível avançar quando se olha longe. Só é possível progredir quando se pensa grande”.

Matheus Miranda é bacharelando em Direito pela FACAPE, presidente do Instituto Libercracia e associado do Livres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *