Concurso Prefeitura de Remanso | Instituto Machado de Assis emite Nota de esclarecimento

6 de janeiro de 2015 0 Por Por Lucas Nunes

CapturarO INSTITUTO MACHADO DE ASSIS (IMA) existe há mais de sete anos, sendo uma empresa pautada pelo seu maior lema “seriedade, compromisso e competência”: foi nessa perspectiva que realizou quase duzentos concursos no Piauí, Maranhão e Pará, incluindo nesse rol até mesmos concursos de níveis federais.

E em todos estes longos anos de experiência e trabalho, o IMA NUNCA teve qualquer concurso ANULADO por decisão judicial “por conta de irregularidades e fraudes encontradas na realização das provas”, ao contrário do que aduziu a matéria. (E fica aqui o desafio a qualquer jornalista ou pessoa do povo a provar o contrário!)

É muito tendenciosa a reportagem intitulada “Concurso da Prefeitura de Remanso será realizado por empresa campeã em fraudes”. Para não dizer deturpadora. Resultado advindo da prática antiética de se divulgar fatos sem que sejam ouvidas as partes envolvidas.

O básico da prática jornalística pede que sejam ao menos averiguados os fatos antes de sua divulgação. E, aqui, cabe a ressalva de que EM MOMENTO ALGUM o IMA foi procurado para dar qualquer declaração ou esclarecimento sobre acusações pesadas que foram feitas.

A referida reportagem quando não é equivocada, é, no mínimo, vazia de fontes. Afinal, de onde foram extraídas as “péssimas referências”? De que pessoas ou que repartições? Ou de que fontes? Quem são os denunciantes? Seriam covardes ou só amedrontados pelo estigma da mentira? Ou simplesmente não existem? Quais concursos foram anulados? Qual o número dos processos de onde se extraíram as anulações ou suspensões? Quem são os magistrados? Os promotores envolvidos?

Não se sabe pois mentiras são baseadas em conjecturas, não em fatos verificáveis.

A título de exemplo, a decisão acerca do concurso de São Benedito do Rio Preto ainda se encontra em grau de recurso junto ao TJMA, sendo que são discutidas questões acerca da modalidade de procedimento licitatório adotada, não sobre qualquer alegação de fraude.

Por outro lado, quanto à alegação sobre o Concurso Público da Prefeitura Municipal de Chapadinha reside o maior equívoco da já equivocada reportagem, haja vista que se fosse feito uma pesquisa apurada (ou qualquer pesquisa), era fácil observar que a decisão que suspendeu o concurso foi revista pelo próprio magistrado de segundo grau, sendo que hoje o certame já foi inclusive encerrado e os aprovados se encontram trabalhando normalmente.

Por fim, o Concurso Público da Prefeitura de Vila Nova dos Martírios teve todos os seus prazos legalmente obedecidos, não sendo alvo de qualquer questionamento judicial ou dúvidas legalmente relevantes.

Muitos municípios brasileiros sofrem de uma “politicagem” excessiva, em que partidários acreditam que o Concurso Público realizado é do prefeito e não para a Prefeitura.

O IMA, empresa totalmente apolítica, sofre com ataques das partes adversárias, mas sempre fomos exitosos em provar nossa seriedade, sempre fomos reconhecidos por nossa competência e sempre seremos batalhadores por nosso compromisso em realizar um processo seletivo tão sério quanto é o de concurso público, que envolve um compromisso constitucional e mexe com as emoções e sonhos de toda uma população.

Lamentamos, por mais uma vez, termos que nos defendermos de palavras irresponsáveis, jogadas ao vento cibernético e semeadas na terra-de-ninguém que é a internet.

Fica aqui dica do lema do jornalismo responsável: questionar sempre, acusar quando preciso, publicar com responsabilidade.

Atenciosamente,

Instituto Machado de Assis

Matéria: Remanso Oline