Falso médico de Pedro II usava CRM do prefeito de Anísio de Abreu

medicoO presidente do Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM-PI), Emmanuel Fontes, em entrevista na tarde desta sexta-feira (09), denunciou que um dos registros do CRM usados pelos falsos médicos de Pedro II é do prefeito de Anísio de Abreu. “Ele está usando o número do CRM do prefeito que, inclusive, nem está exercendo a profissão neste momento”, explicou.

Emmanuel Fortes alerta aos gestores que exijam o diploma e a carteira do CRM do médico a ser contratado e depois que façam uma pesquisa no site do conselho pelo nome informado. “A pesquisa garante que o médico existe e é registrado. O mínimo que os gestores públicos ou privados devem fazer é pedir, na hora da contratação, o diploma e o registro do médico candidato ao emprego”, relatou.

Entenda o caso

Durante fiscalização de rotina, o CRM-PI constatou o exercício ilegal da profissão de três pessoas que atuavam como médicos no município de Pedro II. Os falsos médicos atendiam na Sociedade Beneficente São Camilo, Hospital Santa Cruz, na cidade.

Um dos falsos médicos atendia com o nome de Felipe Silva e, após investigação do Conselho, descobriram que ele assinava com o carimbo do CRM nº 4677, porém este é um registro que não pertence a nenhum médico do Piauí e nem o nome condiz com o do registro.

Um Boletim de Ocorrência foi registrado na delegacia de polícia local e no dia seguinte, dando prosseguimento à fiscalização, o CRM-PI constatou que mais dois supostos médicos, no mesmo hospital, atuaram como plantonistas com registros de CRM falsos. Eles foram identificados como Rodolfo Carvalho (CRM nº 5562) e Beatriz Queiroz (CRM nº 350).

Segundo informações, o falso médico Felipe Silva atendia qualquer pessoa que chegasse ao hospital na hora do seu plantão e tinha carimbo falso. O hospital não teria checado devidamente a documentação dos falsos profissionais, que enganaram a todos.

A Assessoria Jurídica do CRM-PI já enviou ofício, com relatório dos fatos à Polícia Federal do Piauí e ao Ministério Público Federal para as providências cabíveis. Serão apurados os crimes de exercício ilegal da medicina e falsidade ideológica.

Veja abaixo o documento enviado à Polícia Federal:

Fonte: Portal SRN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *