Operação desbarata grupo de extermínio que agia em Petrolina e Juazeiro

grupo-exterminio

Operação desbarata grupo de extermínio que agia em Petrolina e Juazeiro

Uma operação policial que começou na madrugada desta sexta-feira (15) em Petrolina, acabou com a prisão, em Juazeiro da Bahia, de novos suspeitos de fazer parte de um grupo de extermínio que vem agindo na região.

O primeiro a ser preso foi Amilton Antonio Rodrigues Novaes, de 49 anos. Natural de Belém do São Francisco (PE), no Sertão de Itaparica, ele é acusado de liderar o grupo e cumpre regime semiaberto na Penitenciária Dr. Edvaldo Gomes. Amilton foi localizado no bairro Santa Luzia, zona norte de Petrolina, num local conhecido por ‘Buracão’.

Sua residência já vinha sendo monitorada e assim que percebeu a chegada polícia de inteligência, que estava numa viatura descaracterizada para não chamar atenção, o acusado se aproximou do veículo e esboçou reação. Mas foi interceptado por policiais militares da Ciosac de Juazeiro.

Na casa de Amilton foi encontrada uma pistola 40 milímetros e 28 munições. Do Santa Luzia, as equipes se deslocaram até a cidade baiana, onde localizaram um ponto de apoio do grupo. Lá, os policiais apreenderam uma espingarda calibre 12 e efetuou mais prisões.

Os detidos são Sérgio Antonio Rodrigues Novaes (irmão de Amilton), 45; Gabriel Londim Novaes, 19; Edmilson de Souza Vieira, 42; Flávio Rodrigues dos Santos, 36; e Raony Quintana de Freitas Lemos, 38. Com este último foi encontrada uma espingarda calibre 12. Mas no local a polícia ainda apreendeu outra espingarda de mesmo calibre (pintada e sem numeração), mais outra pistola calibre 40 e várias munições.

Todos os envolvidos foram entregues à Delegacia de Polícia Federal em Juazeiro. Há duas semanas, a operação já havia detido um elemento conhecido por ‘Maúda’ – primeiro acusado de pertencer ao grupo. A ação de hoje foi feita em conjunto entre o 5° Batalhão de Polícia Militar, Núcleo de Inteligência do Sertão (NIS 4), Ciosac e Polícia Militar da Bahia/CIPE Caatinga.

Fonte: Blog do Carlos Brito

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *